Merch Patrocinadores Diário Contatos Vídeos Fotos Discografia Biografia Agenda Home Notícias
Diário de Setembro/Outubro/2011


postado por Nando Mello

Audição do novo CD
Começamos setembro exatamente no dia 09. Escolhemos algumas pessoas para irem até o Estúdio FX e conhecer o novo CD e o clip de “Haunted By Your Ghosts”. Foi um dia bem corrido. Compramos alguns comes e bebes e chegamos ao FxStudios às 17hs. Pelas 19hs, os convidados começaram a chegar. O estúdio capitaneado pelo grande Durval Gama tem vários ambientes, porém o local da audição tornou-se pequeno para acolher tanta gente. Estavam lá vários amigos como o Daniel Piquê, João Duarte, Marina Dickinson, Vanessa Dói, Carol Angeli, Appolo Moreira, Adair Daufembach, Gibão e Natália Lett, além dos ganhadores da promoção para ouvir em primeira mão o novo CD, que foram a Damaris Silveira e o Júlio, a Pry Gianotti e o Guilherme Kobayashi, o Filipe Prado, o Junior Wendland e a Simara Fiorelini Wendland, o Leonardo Sampaio e a Salete Salles, o André Murbach e a Sam Godoy. O Aquiles começou a noite falando muito bem sobre a situação e muitas pessoas que estavam ali presente não sabiam da saída do Humberto e muito menos da presença do André. Após ouvirmos cinco músicas o Aquiles chamou o André e o apresentou causando uma surpresa geral no pessoal. O ambiente que já era de festa ficou ainda mais legal com a participação e empolgação de todos que se encontravam no local. Era muito legal ver as pessoas aceitando bem o CD. Após a audição fomos todos para terraço do estúdio saborear os comes e bebes preparados anteriormente. Ficamos conversando muito com todos que expressavam as suas surpresas e também toda a empolgação com essas mesmas surpresas.

Ensaios
Após o dia 09, nos reunimos na sala onde o Aquiles costumeiramente ministra aulas, no Instituto Fabiano Manhas, para os primeiros ensaios com a nova formação. Eu estava realmente apreensivo, pois nunca havia tocado com o André. Gravar é uma coisa totalmente diferente. Sabia da responsabilidade que seria, já que são dois sets diferentes, acústico e elétrico. Para os demais integrantes que já estão acostumados, tudo bem, mas o André com certeza teria uma carga maior de responsabilidade e trabalho. Ensaiamos durante três dias alternando entre os dois sets e nos preparamos para a primeira viagem.

Santa Rosa 14/09
O primeiro compromisso da nova formação foi em Santa Rosa, no Rio Grande do Sul. Saímos de São Paulo no dia 13 e percorremos cerca de 1200km até a cidade onde a Xuxa nasceu. O evento que na realidade era um workshop do Aquiles acabou contando com a presença de toda banda, exceto o André. Achamos melhor ele não se expor no primeiro show depois de tantas horas de viagem. O workshop correu normalmente no teatro da cidade, geralmente ligado a música tradicionalista e regional gaúcha. Após o evento nos dirigimos a um restaurante onde assistimos ao programa “Leitura Dinâmica”, da Rede TV, com a matéria sobre o lançamento do nosso novo disco e o clip de “Haunted By Your Ghosts”. Comemoramos muito no restaurante vendo a nossa imagem na tela. Foi apenas um dos motivos que não irá fazer a gente esquecer Santa Rosa por um bom tempo.

São Borja 17/09
No dia 15 de setembro saímos de Santa Rosa rumo à cidade de Santo Antônio das Missões. Pra quem não sabe nessa cidade moram quatro dos mais ferrenhos fãs do Hangar e nossos amigos há muito tempo. São eles o Caco Garcia, Diego Garcia, Paulo Rogério Bedengo e o Mauriel Ourique, que têm ligação direta com a história do Hangar desde 1998. Em 99 eu mesmo respondi a uma entrevista para o Caco por carta, já que ele tinha um zine na época. Hoje, após todos esses anos eles sempre nos recebem muito bem. Dormimos na casa do Caco e saboreamos uma grande janta de “pão com linguiça”, preparada na casa da mãe do Caco. No final da tarde o Aquiles, o Mauriel, o Telles e eu fomos até a divisa do Rio Grande com a Argentina, bisbilhotar alguns preços e algumas novidades no lado portenho do pampa, mas não encontramos nada que agradasse, além da pobreza que infelizmente assola os hermanos argentinos.

Na manhã seguinte rumamos para São Borja, fronteira com a Argentina. Fomos para o hotel e na parte da tarde fizemos uma sessão de autógrafos na loja Let´s Rock. Foi exatamente nessa sessão que eu comecei a sentir que algo estava estranho com um dos meus dentes em tratamento. Como parte do curativo havia cedido, o frio e comida trataram de fazer com que ele inchasse muito. A noite foi pior ainda e no outro dia eu estava com o rosto completamente inchado.

Era a estreia do André e sempre se fica um pouco nervoso nessa situação. O público sabia disso e tratou de deixar a banda bem à vontade. Cantou, brincou e curtiu a noite. Confesso que eu não aproveitei nada porque só queria que tudo acabasse logo para que eu fosse embora para o hotel. O lado esquerdo do meu rosto estava uma bola e lógico a galera já me mandou um apelido de “fofão”, só pra “não perder o amigo”. Nesse show estava o Eduardo Cadore, amigo de longa data que acabou fazendo junto com o Caco Garcia a primeira resenha de um show com a nova formação para o blog Road To Metal. Deixamos São Borja no domingo dia 18 e rumamos para Porto Alegre aonde chegamos à noite e dividimos a banda e equipe em dois grupos, ficando uma parte na minha casa em Gravataí e outra na casa do Martinez em Porto Alegre.

Porto Alegre 19/09
Na segunda-feira, dia 19, foi a vez do lançamento do disco e da biografia do Aquiles na Livraria Cultura, situada em um grande shopping de Porto Alegre. Com uma estrutura muito boa para pequenos shows, a Livraria Cultura se diferencia pelo grande acervo que possui, tanto de livros quanto de CDS e ter os nossos nesse estoque sempre será importante. Aqui foi a estreia do André, com o set acústico e recebemos na plateia muitos conhecidos, familiares meus, do Aquiles e do Martinez que foram prestigiar. Uma grande presença foi o nosso ex-vocalista Michael Polchowicz, que foi ovacionado pelo público quando subiu ao palco para nos cumprimentar. Após o show recebemos todos no hall da Livraria com muito vinho e petiscos servidos pelos garçons contratados pela Cultura. Acho que muita gente saiu meio tropego nesse dia, mas enfim valeu a festa.

Novo Hamburgo 20/09
Após uma noite bem dormida em casa, seguimos para Novo Hamburgo, a cerca de 30 km de Porto Alegre. No Rio Grande do Sul, dia 20 de setembro é feriado farroupilha. Guardadas as devidas proporções seria o equivalente ao 7 de setembro. O workshow foi uma promoção da loja Toda Música e da Urban Boards. Inusitadamente o dia amanheceu muito frio para a época e com uma chuva fina incessante o que fez com que descarregar o ônibus fosse uma aventura terrível. No final tudo certo e foi um grande evento com a presença de muitas pessoas de várias cidades próximas. Depois na noite uma pequena confusão no hotel fez com que ríssemos muito do acontecido, mas melhor não entrar em detalhes.

Rio Negrinho 21/09
Saímos às23 h de Novo Hamburgo, direto para Rio Negrinho em Santa Catarina. Seriam 600 km a noite subindo a serra pela BR 116. Até aí tudo bem, mas o que eu não sabia é que o trecho entre Novo Hamburgo e Caxias fosse tão perigoso e com neblina a toda hora. Não há como dormir desse jeito. Alguns até conseguem pelo cansaço, mas geralmente o Aquiles e eu não dormimos. Depois enfrentamos mais um pedaço muito ruim de Caxias até Vacaria com muita serra. No início da manhã, lá pelas nove horas já estávamos próximos ao destino e consegui descansar um pouco. Realmente eu sou estressado, fazer o quê? Chegamos a Rio Negrinho, pequena cidade ao norte de Santa Catarina e conhecemos o Juliano que prontamente nos levou ao almoço. Seguimos depois para o local do workshow, que aqui também seria do Aquiles, com minha participação, mas acabamos todos participando, o que deixou o público bem feliz. No final o Juliano acabou convidando a banda a voltar no dia 9 de dezembro para um festival que ele organiza na cidade.

Expo Music 2011
Na manhã seguinte, dia 22, voltamos a São Paulo e nos preparamos para a Expo 2011. Falar sobre Expo é sempre falar em lançamento de CD, pocket shows e encontrar velhos e novos amigos. Desde 2006 temos sido uma das bandas que mais toca neste evento. Com a chegada do CD Acústico, nada melhor que vários pockets shows para apresentarmos oficialmente o André e o disco. Estivemos nos stands dos nossos principais parceiros, Harman, Royal, AMI, Pride e na Lady Snake onde tivemos as sessões de autógrafos. Como sempre todos nossos grandes amigos compareceram. Um dos destaques foi o Mauriel Ourique, nosso grande amigo que saiu de Santo Antonio das Missões para nos ajudar em São Paulo.

Uberlândia 07/10
Chegamos a Uberlândia na manhã do dia 07/10, sexta feira. Foi o nosso primeiro show inteiro no formato acústico após o lançamento do CD. O local chamado Rock´n Beer, um pub muito bonito e moderno, estava lotado de vários fãs e amigos. Temos voltado várias vezes a Uberlândia, cidade do triangulo mineiro, próximo à divisa com São Paulo, uma região tipicamente “sertaneja”. Desde 2008 acho que já estivemos na cidade seis vezes, o que comprova a teoria de que não interessa onde você esteja, sempre haverá o público fiel do metal. Agradecemos muito a presença de todos os amigos e do Bambi.

Araraquara 08/10
Saímos de Uberlândia às 5h da manhã e seguimos em direção a Araraquara. Lembro que quando entrei no ônibus falei para o nosso motorista, o Telles, que ele seguisse sempre pelas BRs em direção a São Paulo, passando por Uberaba, Ribeirão Preto e depois dobrando a direita para chegar a Araraquara. Nem sempre é bom confiar somente no GPS. Depois de uma hora de viagem, quando todos estavam dormindo, senti que o ônibus começou a passar por buracos e a trepidar. Olhei lá na frente e vi uma estrada deserta, com buracos e crateras enormes. Fui até a frente e tentei entender o que estava passando. O Telles prontamente respondeu todo sem jeito, naquele sotaque caipira que só ele tem, “uai, o GPS mandou eu dobrar a direita, eu fui…”. Naquela altura eu só pensava em uma frase que o Aquiles sempre me repete que diz que não dá pra deixar nada para os outros fazerem, faça você mesmo se quiser que aconteça. Eu não sabia quantos km ainda faltavam para acabar aquele pesadelo. Ignorei o GPS que já não tinha sinal e comecei a procurar a via no mapa. O lugar era completamente abandonado, típica zona rural de plantação de cana com uma longa estrada de asfalto esburacado esquecida pelas autoridades. Como se fosse uma cena de filme de Tarantino, ou algum classe “B” que passa na madrugada em uma TV aberta qualquer, eu torcia para que ninguém acordasse e que eu de alguma maneira achasse a maldita estrada no mapa para calcular quantos quilômetros ainda teríamos que andar. Nada adiantou. Logo em seguida o Aquiles já estava acordado tentando entender o que se passava. Achei a rota no mapa e calculei 20 km de estrada ainda faltantes. Foi o dia que mais temi pelo ônibus. Foram 30 km de estrada abandonada pela civilização com perigo de uma quebra qualquer, sem sinal de celular. Finalmente chegamos ao asfalto normal e seguimos em direção a Araraquara. A lição que ficou é que nunca confie plenamente no seu GPS, ele pode tentar te ferrar mesmo.

O Araraquara Rock é um festival anual na cidade realizado em um teatro de arena muito bonito. Uma concha acústica. Saímos do hotel e seguimos para o local e começamos a montar o equipamento. Na passagem de som tocamos uma música que até mesmo para nós seria uma surpresa. Eu sempre fui um fã confesso de David Coverdale desde os discos com o Deep Purple até chegar à carreira sensacional com o Whitesnake. Aproveitando o timbre de voz do André, o Aquiles sugeriu que tocássemos “The Deeper the Love”. Essa música é um clássico lançado no CD “Slip of the Tongue” de 1990 e ficou muito boa na versão do Hangar. Foi um dos destaques do show. Cerca de três mil pessoas compareceram ao evento do qual éramos a última banda a tocar. Para um show coletivo onde seríamos os headliners a falta de atraso nos surpreendeu e o show começou no horário previsto. Muitos amigos comparecerem, o Michel de Paraguaçu, as “irmãs Damaris” rsrs, Pry Gianotti e Damaris Silveira acompanhadas pelo Júlio César e o Guilherme Kobayashi que viajaram de São Paulo até Araraquara para o evento. Voltamos para São Paulo na manhã seguinte, sem antes assistir todo o vídeo da apresentação, onde constatamos nossos acertos e erros, coisas de Hangar…

Ainda em Outubro…
Voltamos para casa e em função de workshops individuais passamos a agenda da banda para novembro. Enquanto o Aquiles carimbava seu passaporte mais uma vez, levando seu talento e música para a Polônia, República Tcheca, Bulgária e Canadá, eu andei lá pelas missões no RS levando um pouco do Hangar para nossos amigos, mas isso é um assunto para o blog Riffmaker em breve.

Voltarei em breve com o mês de novembro e o Dia do Metal Nacional, evento que causou muito assunto na cena.

Diário

Postado em/Posted on Novembro 23rd, 2011 @ 21:50 | 624 views



Deixe seu comentário / Leave your comment




Notícias mais lidas/Most viewed news



2 Users Online